Papo Tático: Atlético-MG 1 x 3 Vitória

Vitória venceu o Galo por 3 x 1, na Arena Independência, em partida válida pela vigésima quinta rodada do Campeonato Brasileiro 2017.

A atuação do rubro-negro baiano foi firme. O Vitória não surpreendeu negativamente, e continuou com sua boa campanha e desempenho nos jogos fora de Salvador. Se no Barradão às vezes o time joga bem e não vence, fora de casa os comandados de Mancini tem sido letal aos adversários.

Com apenas uma improvisação o Vitória iniciou bem a partida contra ao Galo. O treinador rubro negro por falta de opções cometeu alguns equívocos nas substituições da segunda etapa, principalmente no posicionamento de Kieza e Renê, mas podemos relevar o fato por conta da falta de algumas peças do time.

MOMENTO DEFENSIVO

Sem a posse da redonda a equipe recuava atrás da linha da bola com os 11 atletas, Trellez era a referencia, Yago voltou a fazer um jogo aceitável no primeiro tempo e 25 minutos muito bom na segunda etapa, o atleta ocupava bem o extremo direito do campo.

O sistema de jogo defensivo variou na partida de 4-4-2 para 5-4-1 e até 6-4-0 no finalzinho do jogo.
As linhas dessa vez não eram bem definidas, porque Yago e David atacava os laterais do Galo que são responsáveis por iniciar as jogadas. Neilton ontem combateu o portador da bola muito mais que em outras oportunidades, parece estar num melhor nível físico. O bom das perseguições que o meia atacante fazia, era que no momento da retomada da bola, ele La estava para iniciar a construção e transição com qualidade, sempre flutuando pro lado da bola.

Ramon tentava não comprometer do lado direito e às vezes se aventurava para servir como opção de retorno de bola e circulação. Fazia algumas perseguições curtas e desarmava bastante com bom tempo de bola.

O Vitória não correu grandes riscos na primeira etapa, mas também chegou pouco ao gol do Galo, foi um jogo estudado e sem muitas emoções na etapa inicial. Apesar de algumas boas escapadas de David pela esquerda, um atleta que continua com problema na tomada de decisão.
No segundo tempo o Galo passou a querer mais o resultado, iniciou uma pequena pressão, mas sem a dinâmica e qualidade de jogo de outrora ou que o treinador Micale esperava. O Vitória também não ameaçava e tentava com bolas longas, fazer até aquele momento, sua única jogada.

O Galo que jogava no 4-2-3-1 não tinha uma boa movimentação executada pelos seus três meias leves, rápidos e habilidosos, pareciam não saber como correr diante da boa marcação em bloco médio baixo das duas linhas de 4 do treinador Mancini, com isso o técnico Micale abriu mão de um volante e colocou Otero pela esquerda de ataque para explorar a improvisação de Ramon e Yago que estava esgotado e pedindo para sair.

O técnico Mancini tentou intervir bloqueando o lado direito defensivo com mais um jogador de marcação o Renê, fazendo uma linha de 5 atrás. A ocupação de espaço nos parece que não foi bem treinada e ainda assim Otero continuou a levar perigo por ali. Ainda assim, o técnico Micale inverteu o meia para o lado direito ofensivo e o atleta quase empatou o jogo chutando livre de fora da área.
Na captura abaixo, fica claro que mesmo com seis atletas atrás, existe espaço entre as linhas por conta de compactação e entendimento. A bola se choca no poste direito de Caíque


GOLS e MOMENTO OFENSIVO:

Ao que parece, fora de casa o ímpeto de jogo apoiado do Vitória é....

Para poder continuar lendo este e todos os conteúdos completos, seja nosso assinante por apenas R$ 5,00 mensais (CLIQUE AQUI). Nosso assinante também participa de sorteios e lista de transmissão no WhatsApp. Para pagamento via boleto nos informe seu e-mail (@colunaecvitoria@gmail.com).  

Planos:

Mensal 5,00: 
Semestral: 28,00:
 
Anual: 55,00:   


0 comentários:

Postar um comentário