Petkovic pode ser a chave para um projeto de Futebol Profissional no Vitória


O Vitória anunciou ontem à noite a contratação do ex-jogador e, mais recentemente, técnico, Petkovic. Sem muitas explicações, Pet veio para exercer o cargo de Gerente de Futebol, inicialmente destacado ser um cargo inovador no clube, coisa que sabemos não ser, inclusive, o ex-jogador e multiuso Flávio Tanajura, já ocupou tal situação. 

Esperei a coletiva do "gringo" nesta tarde para entender qual seria sua função na prática dentro do clube, e fiquei muito esperançoso com o que ouvi. Isso pois, Pet falou tudo aquilo que o amigo Adson Piedade e eu viemos cobrando das antigas e atual gestão do clube, um projeto profissional para o futebol. 

"Filosofia do trabalho, metodologia e, principalmente, conceito do Vitória. Precisa pesquisar dentro do departamento, pesquisar histórico, usar o que o torcedor espera. Encontrar sua filosofia de trabalho tanto na base como no profissional, ser alinhada, base ser subordinada ao departamento de futebol, e esse conceito como que o Vitória vai trabalhar daqui pra frente dentro do departamento de futebol. Temos que buscar modelos, mecanismos, fazer a metodologia sistêmica...", Petkovic

A ideia do projeto segue a linha do que a maioria dos clubes da Europa fazem e que vários no Brasil já colocam em prática. Entre outras coisas, definir uma metodologia de jogo do clube, aliando isso as suas categorias de base, tendo assim um perfil a se seguir na formação de jogadores, o que também facilita a transição dos jovens para a equipe profissional. Além disso, o clube ganha independência, não ficando refém dos treinadores ou gestores, pois, a filosofia estará implantada e enraizada no clube. Por mais que exista a demissão de um treinador, ou saída de algum gestor durante o processo, a filosofia do clube e modelo de jogo já tem uma base sólida, bastando encontrar profissionais com conceitos parecidos, que possam dar continuidade ao trabalho sem tantas perdas, pois não existe a necessidade de mudar todo uma forma de jogar, por exemplo, no meio da temporada.

"Não vamos inventar nada do que já é feito nos outros clubes, principalmente na Europa e agora no Brasil...", Petkovic.

Quando participei de uma reunião com a atual diretoria, o coordenador das divisões de base, Nelsinho Góes, ao sugerirmos esse pensamento de sistema de jogo integrado entre base e profissional, falou que essa ideia não seria possível, pois na cultura do país se demite treinador com 3 resultados negativos. Porém destacamos que a filosofia deveria ser do clube, e não do treinador. Um trabalho de mudança de cultura deverá ser feito dentro do clube, e Pet também destacou essa importância na coletiva. Será que agora, com Petkovic falando as mesmas coisas que nós, eles irão dar uma maior importância? Se trouxeram o cara, eu entendo que é porque viram a necessidade de mudanças. 

"Ajudar a profissionalizar o Departamento de Futebol do Vitória...", Petkovic. 

Eis a chave para a mudança de patamar do Vitória e, consequentemente, a diretoria atual passa a seguir os trilhos corretos para um clube de futebol. 

Um projeto como esse não é feito da noite para o dia. Se exige um prazo a médio e longo prazo. A atual diretoria perdeu 5 meses importantes onde já se poderia ter uma equipe responsável para realizar esse planejamento, em paralelo com as decisões tomadas já para a temporada atual, para que, as mudanças nos anos seguintes não fossem tão bruscas. 

"Não é uma coisa que você vira a página de um dia para o outro, você precisa elaborar, conscientizar, e depois precisa capacitar seus profissionais...", Petkovic.

Com 5 meses de atraso a diretoria, antes perdida, enfim começa a pensar um departamento de futebol do Vitória mais profissional. A tarefa não é fácil, mas necessária. Quem comanda o clube terá que ter bastante discernimento, buscar entender a real importância de um trabalho como esse, não podendo deixar que pensamentos equivocados como o imediatismo ou análise baseada apenas em resultados, possa atrapalhar um projeto que servirá para a vida da Instituição. Será necessário uma mudança de pensamento de muitas pessoas que estão no clube, principalmente, o homem que comanda o futebol, aliando sua experiência ao momento atual e evoluções que vivem o futebol no Brasil e no mundo.

Meu coração se encheu de esperança em ouvir as palavras de Pet, e espero que ele, junto com a diretoria, consigam planejar e executar da melhor maneira possível. Fico ainda mais satisfeito em perceber que nossa luta no Coluna E.C. Vitória não é em vão e, querendo ou não, nossas críticas, de alguma maneira, chegaram no Barradão, e foram construtivas, pois esse sempre foi objetivo, sem segundo interesse, apenas o bem do clube que amamos. Como costumo dizer sempre, "analisamos ideias e pensamentos, independente de nomes". 

Por Cassio Santos/@CassioNSantos
Foto: ESPN




2 comentários: