PAPO TÁTICO: Luziânia 0 x 2 Vitória

Depois de uma pífia apresentação diante do Botafogo-PB pela Copa do Nordeste, o Vitória voltou à campo, desta feita, para encarar o Luziânia, em partida válida pela Copa do Brasil.

O técnico Argel Fucks resolveu voltar ao sistema de jogo que vinha utilizando desde o ano passado, e na maioria das partidas na atual temporada.


Sem a bola o posicionamento inicial era um 4-4-2 em linhas, com o meia Cleiton Xavier se posicionando ao lado do atacante. No momento do flagrante o atacante era Paulinho, porém era Kieza quem atuava por ali, com Paulinho fazendo a extrema esquerda. A formação com duas linhas de 4, preencheu melhor o campo ao invés do 4-2-2-2 utilizado contra o Botafogo-PB.


Ao recuperar a posse de bola, o Vitória alterava seu sistema inicial para o 4-2-3-1, pois Cleiton Xavier recuava para armar o jogo no centro do campo (Seta branca), enquanto os extremos Paulinho e David se alinhavam a ele. Essa movimentação de Cleiton é interessante, pois confunde a marcação adversária.


No momento do primeiro gol rubro-negro, vejam como Cleiton Xavier consegue aproveitar bem e atacar os espaços que aparecem devido essa movimentação e sua inteligência de jogo. Esses espaços aconteceram durante todo o jogo.


Mais uma situação....


Outra....

Claro que enfrentando um sistema de marcação mais sólido, será mais complicado encontrar tanto espaço. Mas a movimentação que esse sistema (4-4-2 variando para o 4-2-3-1) permite ao meia, junto a facilidade e visão de jogo de Cleiton Xavier, me agrada. E se observamos o estilo de jogo de Argel, creio que se ele mudar muito essa forma para querer encaixar os demais meias de "nome" do elenco, irá se perder.

Claro que continuamos observando inúmeros problemas, e que estamos destacando nas análises. Mas vamos dar uma colher de chá e olhar o que aconteceu de bom neste jogo.

Por Cassio Santos/@CassioNSantos

0 comentários:

Postar um comentário