PAPO TÁTICO: Palmeiras 2 x 1 Vitória

Palmeiras e Vitória se enfrentaram neste último domingo (7), no Allianz Parque, em jogo válido pela 19ª rodada do Campeonato Brasileiro.

Mancini parece que começou a perceber a realidade em que se encontra o Vitória e suas atuações até o momento. Para enfrentar o Palmeiras, o treinador rubro-negro resolveu utilizar o 4-4-1-1 que variava para o 4-4-2 de acordo com a movimentação de Cárdenas.


Na imagem o 4-4-2 do Vitória que variava para o 4-4-1-1 (ou vice-versa), de acordo com a movimentação de Cárdenas, que retornava mais que Kieza para fechar os espaços e ser a primeira opção de passe no momento da transição ofensiva.

O que quero destacar não é o esquema tático em si, mas a postura da equipe em campo. Sabendo da dificuldade de se enfrentar a boa e ofensiva equipe paulista, Mancini deu início a uma atitude que já deveria vir trabalhando em sua equipe há muito tempo. Atitude está que chegou a ser utilizada em parte do segundo tempo diante do Corinthians no Barradão, onde o Leão conseguiu a virada sem tomar sustos defensivos após uma péssima atuação no primeiro tempo.

A postura destacada aconteceu principalmente nos minutos iniciais, onde o Vitória colocava os 11 jogadores atrás da linha da bola, tentando fechar os espaços e dificultar as jogadas ofensivas adversárias. Claro que ainda muito longe de uma marcação zonal tão esperada por esse colunista, mas já é um alento. A marcação ainda não era zonal, mas o fato de tentar fechar os espaços, principalmente com os 11 jogadores atrás da linha da bola, deu um pouco mais de tranquilidade nos primeiros minutos, tendo a equipe rubro-negra criado uma chance clara de abrir o placar, desperdiçada por Kieza.

Com o decorrer da partida o Vitória começou a desconcentrar e ceder mais espaço, aliado a isso, o time não conseguia realizar a transição ofensiva, parando de atacar o adversário, consequentemente o deixando à vontade para atacar.

Um dos problemas que influenciaram a falta da transição ofensiva, foi o fato de Mancini ter utilizado Flávio pelo lado esquerdo na segunda linha. A intenção era reforçar a marcação naquele setor, porém, acarretou na falta de velocidade por aquele lado quando o time tinha a bola. Forçar as jogadas apenas por um lado deixa o time previsível. Tanto que, a equipe melhorou no segundo tempo com a entrada de Vander no lugar de Flávio, quando o time precisava correr atrás do empate.

Perdendo por 2 x 1, o Vitória com uma postura muito mais ofensiva, tentou o empate até o último instante, parando na boa atuação do goleiro adversário.

Fica aqui o destaque positivo para a mudança de postura defensiva, mesmo que por alguns minutos. Mas sabemos que a equipe precisa de muito mais. Não é da noite para o dia que se ajusta um sistema defensivo ou se implanta uma nova metodologia de marcação, no entanto, é preciso se iniciar essa mudança, e com urgência, principalmente contra equipes superiores tecnicamente.

Por Cassio Santos/@CassioNSantos

0 comentários:

Postar um comentário