PAPO TÁTICO: Vitória 0 x 1 Flamengo

Sinal de alerta mais do que ligado para o Vitória no Campeonato Brasileiro 2016. Depois de empatar em casa com o Atlético-MG, o rubro-negro baiano foi derrotado pelo Flamengo, por 1 x 0, no Estádio Raulino de Oliveira.

A minha preocupação para esta partida se iniciou quando o técnico Vagner Mancini confirmou a presença de Dagoberto na equipe titular, isso pois, o Flamengo tem como ponto forte as jogadas com os laterais Rodinei e Jorge, ter Dagoberto atuando pelos flancos seria um suicídio, termo este utilizado por mim através do twitter. E não deu outra...

Antes de comentar sobre os principais problemas da equipe, Mancini, que concordou com a liberação de Arthur Maia para a Chapecoense, improvisou Flávio como homem de criação, que ele não é.


Na imagem, o Vitória postado no 4-4-2, mas, desta vez, com Flávio ao lado de Kieza, e não Leandro Domingues. Na segunda linha, Dagoberto, Amaral, Farias e Vander. Com a posse, Dagoberto e Vander avançavam pelos extremos, Flávio recuava para tentar organizar o jogo, e Amaral tentava dar opção, formando o 4-1-2-3.


Em alguns momentos o Vitória tentava realizar uma marcação mais avançada, porém, como no flagrante acima, o Flamengo realizava uma saída de 3, com o volante Márcio Araújo recuando entre os zagueiros que abriam nos lados para o avanço dos laterais, dando superioridade numérica na saída de bola e opções de passe à frente.

O Vitória sofria com as investidas pelo lado direito de ataque do Flamengo, onde Rodinei aproveitava o ponto mais fraco do Vitória, ter Dagoberto atuando aberto.


Observem na imagem o espaço que tem o jogador do Flamengo para dominar a bola e pensar no prosseguimento da jogada... Dagoberto um pouco mais atrás, andando, enquanto Diego Renan demora para diminuir o espaço. Mesmo com Flávio tentando ajudar a segunda linha quando o time carioca avançava o meio campo, o Vitória cedia muito espaço.

Mesmo com todo sufoco do primeiro tempo, com transições ofensivas e defensivas lentas, além de ceder espaço em campo defensivo, Mancini voltou para o segundo tempo sem substituições. Para tentar amenizar o problema de ter Dagoberto atuando pelos lados, o treinador posicionou Kieza na esquerda com Dagoberto centralizado. Aí surge outro problema. Você tira o homem gol do time, e o desgasta tendo que marcar pelos lados. Inclusive, o gol sofrido, surge de uma falta cometida por Kieza.

Mancini só intervem após o gol, quando recua Flávio para o lugar de Amaral que sai para a entrada de Leandro Domingues e tira Dagoberto para a entrada de Alípio. A partir daí, o time tenta ir para o tudo ou nada e passa a atacar com um número maior de jogadores. Porém, já desorganizado, é difícil conseguir algo.

É triste ver as atuações do Vitória. Um time que não marca bem e não cria. O primeiro chute a gol aconteceu apenas aos 14 minutos do segundo tempo. Os laterais não avançam para ajudar na armação, os pontas são inofensivos...

Falta qualidade ao elenco, porém, Mancini pode fazer deste time, uma equipe mais competitiva. O técnico do rubro-negro baiano errou demais ontem. Primeiro, ao ter Dagoberto na ponta, e segundo, ao demorar para intervir.

Na minha visão, o time pode continuar se postando no 4-4-2 sem a posse, porém as peças precisam ser alteradas. O Vitória precisa de força pelos lados e, para isso, David e Marinho são os mais indicados. Caso queria usar Dagoberto, Mancini só o pode posicioná-lo ao lado de Kieza, como um segundo atacante com liberdade para flutuar. Essa mesma função também pode ser desempenhada por Leandro Domingues. Apesar de Amaral ter evoluído, a série A já começou a cobrar mais técnica e físico, por isso, é necessário utilizar Marcelo, José Welison ou Flávio ao lado de Farias, jogadores que possuem boa noção de marcação e mais dinâmica do que Amaral com a bola nos pés.

O time está sem identidade, sem padrão de jogo, e a diretoria tem grande parcela de culpa nisso (não apenas Mancini), por querer montar um elenco no meio da competição, o que atrapalha o trabalho do treinador.

Com o nível de atuações e elenco do Vitória, infelizmente, o vejo junto com Coritiba, América-MG e Botafogo, como fortes concorrente ao descenso neste momento.

Por Cássio Santos/@CassioNSantos

Um comentário:

  1. Gosto do trabalho de Mancini, de um modo geral. Seguindo o dito popular: está tirando leite de pedra. Mas concordo que ele errou contra o Flamengo. Errou por não arriscar e por persistir com Amaral (que estava nitidamente prejudicando as jogadas de contra-ataque da equipe).

    O Vitória precisa de mais velocidade e inteligência na saída. Estão errando passes curtos, demoram a raciocinar e não tem criatividade para vencer retrancas.

    Isso tudo só leva a crer que pontuar contra times gaúchos será um milagre... E nosso próximo adversário, olha só, o Internacional (se não me engano, a MELHOR DEFESA até aqui).

    Acredito na sobrevivência do Vitória na Série A... Mas sobreviver não é animador. Os torcedores querem viver bons momentos. Querem ver time competitivo... Como foi 2013.

    Esse, até agora, pode ser classificado como um Vitória "Bufa-Fria".

    ResponderExcluir