PAPO TÁTICO: Mancini muda esquema e aspectos no modelo de jogo do Vitória

O Vitória voltou a vencer no campeonato baiano 2016, desta vez, o adversário foi o Feirense, derrotado por 2 x 0 no Barradão.

Ainda sem poder contar com o atacante Marinho (lesionado), o técnico Vagner Mancini promoveu o atacante Robert ao time titular, sacando William Henrique, um apelo deste colunista que vos escreve.

Em campo, o sistema de jogo também mudou. Nada de 4-2-4 e 4-4-2 (em linhas), mas sim a volta do 4-1-4-1, utilizado pela equipe na maior parte de 2015.

Então, vamos ver na imagem como foi esse desenho em campo:


Primeira linha formada por Diego Renan, Ramon, Vinícius e Maicon; Farias mais a frente entre as linhas; segunda linha formada por Vander, Tiago Real, Arthur Maia e José Welison; com Robert sendo a referência no ataque.

Agora, vamos ver como o time se comportava quando tinha a posse de bola:


Na imagem é possível observar um 4-3-1-2, conhecido também como 4-4-2 losango, devido a forma geométrica que se desenha com o posicionamento dos jogadores no setor de meio campo. Como Maia não estava centralizado no momento da captura, o losango não ficou perfeito, mas está bem visível.

E se engana quem pensa que o 4-3-1-2 é um esquema com três volantes, no caso do Vitória, que o utilizou quando tinha a posse de bola, Tiago Real e José Welison tentavam ajudar Maia no momento de criação, virando meias. Um ponto a se destacar neste esquema, é que não existem pontas, ou seja jogadores abertos para buscar a profundidade, porém, Mancini tentou suprir isso de outra maneira, com o apoio dos laterais, coisa que cobrei no último Papo Tático e se observarmos a imagem acima, podemos ver Euller e Diego Renan à frente da linha da bola, dando opção de passe.

Vamos ver como Mancini voltou a utilizar bem o apoio dos laterais:


Como citei anteriormente, o 4-3-1-2 não possui pontas, porém, os laterais podem e devem suprir essa ausência. Vajam na imagem o espaço no corredor para o apoio de Diego Renan do lado direito. Já no lado esquerdo, Euller pode passar em velocidade nas costas do lateral adversário. Notem ainda o movimento de Vander. Sem a bola posicionado onde está o circulo vazio fechando a segunda linha do 4-1-4-1  e com a posse, busca o ataque ao lado de Robert, deixando o espaço na ponta para o apoio do lateral esquerdo. Os laterais são os responsáveis pela amplitude nesse esquema, buscando espaçar o sistema de marcação adversário. Enquanto isso, no meio campo, mais uma vez é possível visualizar os três "volantes/meias" que dão suporte aos laterais e ao meia central Arthur Maia. Quando a bola está do lado direito, José Welison, Diego Renan e Maia podem e devem realizar as triangulações e ultrapassagens, enquanto do lado esquerdo Real, Euller e Vander fazem o mesmo, formando assim as sociedades triangulares, que irão ajudar a equipe na criação das jogadas, não deixando esse papel apenas para um jogador. Futebol é coletivo!

Mancini promoveu mais uma mudança no modelo de jogo do Vitória. Antes, não existia pressão na saída de bola adversária, a equipe aumentava a pressão apenas no meio campo, enquanto agora a marcação já é feita na frente.


Observem como a primeira linha formada pelos zagueiros e laterais está no círculo do meio campo... Isso sufoca o adversário no campo defensivo que provavelmente vai rifar a bola, colando-a em disputa. Vejam ainda Robert praticamente na grande área, enquanto a segunda linha no terço final.

A equipe está muito longe de apresentar um bom futebol, principalmente a nível de série A, porém, preciso deixar aqui meus elogios a Mancini, que soube resolver os principais problemas (destacados em nossa coluna). A entrada de Robert deu a referência que os jogadores precisavam, mesmo não sendo o jogador dos sonhos. José Welison facilitou a dinâmica no meio campo. A marcação mais adiantada, o apoio dos laterais e o esquema montado para essa engrenagem funcionar, também foram acertos.

Vejo com bons olhos o nomo sistema e modelo de jogo, mas fiquei com uma dúvida na cabeça. Onde Marinho vai ser encaixado agora? será que teremos alguma mudança de sistema com seu retorno? Vander sairá e Marinho atuará na esquerda ou na direita ao lado de Robert? Acho que essa será a situação mais provável, porém só Mancini poderá responder.


Cassio Santos/@CassioNSantos


0 comentários:

Postar um comentário