PAPO TÁTICO: Guanambi 1 x 0 Vitória

Depois do belo triunfo pra cima do arquirrival Bahia, o Vitória voltou à campo no último sábado (19), diante do Flamengo de Guanambi, onde foi derrotado por 1 x 0, em jogo válido pelas quartas de final do Campeonato Baiano.

O técnico Vagner Mancini repetiu a mesma escalação do clássico, e esse é um ponto que iremos abordar.

A equipe do Bahia, por ser um clássico, e ter um nível técnico compatível, joga e deixa o adversário jogar, com isso, a proposta de jogo adotada por Mancini, tendo uma forte marcação no meio campo e extremos rápidos, foi bastante eficaz. No entanto, a forma de jogar do Guanambi diante do Vitória é completamente diferente. Times inferiores tecnicamente buscam atuar no erro do adversário, com proposta reativa e contragolpe vertical.

Portanto, ter um meio campo, nesta situação, com dois volantes mais marcadores, pode acabar sendo inapropriado. Não seria melhor Mancini ter entrado com apenas um volante e dois meias? com Marinho e Vander nos extremos e Robert como referência? Isso com certeza não garantiria o triunfo, mas poderia facilitar o jogo para o rubro-negro da capital.

O Vitória começou bem a partida, mas depois de alguns minutos o Guanambi equilibrou a partida. A equipe comandada por Vagner Mancini voltou a dominar a partida quando o treinador teve que substituir o volante Farias, promovendo a entrada de Arthur Maia e, na sequência, Leandro Domingues entrou para a saída de Vander. O meio campo então ficou formado por Amaral, Tiago Real (que viria a ser substituído devido a dores), Leandro Domingues, Arthur Maia e Marinho. Com isso, o time passou a ter a posse, trocou alguns bons passes, desperdiçou oportunidades (Robert e Arthur Maia), e acabou sendo punido, após Welison colocar a mão na bola dentro da área.

O Guanambi foi um bom adversário, porém, o gol aconteceu num lance isolado, quando o Vitória era superior. Após o tento, a equipe do interior por pouco não ampliou o placar após vacilo do zagueiro Vinícius.

Voltando a comentar as dificuldades encontradas pelo Vitória, vamos ver a imagem abaixo:


O Guanambi conseguiu ter superioridade numérica no ponto mais forte do Vitória, as beiradas. Vejam como Vander é marcado por dois jogadores... Faltava ao Vitória a movimentação desses pontas, se colocando em uma melhor situação para receber o passe, faltou a ultrapassagem dos laterais (Welison improvisado e Diego Renan), e aproximação dos companheiros visando equilibrar a superioridade numérica do adversário. Outra opção seria o comentário inicial desse texto, ao invés de dois volantes, dois meias poderia ter sido a melhor escolha.

Fato é que o Vitória irá precisar atuar melhor na partida de volta, não dando chances ao improvável. Seria bom Mancini armar uma forma mais ofensiva de atuar contra adversários inferiores tecnicamente, pois, com o empate a seu favor, o Guanambi irá jogar ainda mais fechado.


Por Cassio Santos/@CassioNsantos
Imagem: Reprodução

Um comentário: