PAPO TÁTICO: Após primeiro tempo pífio, Vitória muda postura no segundo tempo e vence o Luverdense

Arena Fonte Nova lotada, torcida rubro-negra em festa esperando a bola rolar para Vitória x Luverdense, onde com apenas um empate o Leão retornaria à elite do futebol brasileiro.

Quando a bola começou a rolar, a empolgação da torcida foi virando silêncio e preocupação. Isso pois, a organizada equipe do Luverdense, comandada por Júnior Rocha, não deixou o Vitória jogar na primeira etapa.

Ocupando o setor de ataque, utilizando superioridade numérica nos setores, o time de Lucas do Rio Verde, não deixava a equipe rubro-negra trocar três passes e, quando tinha a posse de bola, trocava passes curtos, rápidos, envolvendo o Leão.

O esquema base do Luverdense era o 4-1-4-1, mesmo utilizado pelo Vitória, porém, notem a organização da equipe. Linhas compactas, flutuando para onde a bola se encontrava. Sem opções de passe, restava ao Vitória tentar as viradas de jogo, que nem sempre eram bem sucedidas. Olhem como Gatito indica a virada de jogo.

Ainda na primeira imagem, o volante entre as linhas (Muralha), atuou livre todo o primeiro tempo. Isso se dava pelo fato de que nenhum atleta rubro-negro se posicionava entre as linhas adversárias para buscar dar opção de passe ao companheiro. Todos aceitavam facilmente a marcação.

O Luverdense não deixava o Vitória iniciar as jogadas com os zagueiros. Quando o rubro-negro tinha o tiro de meta a favor, os extremos adversários avançavam formando um 4-3-3 (triângulo invertido), forçando o chutão. Já o Leão tentava explorar as extremidades do campo, mas sem aproximação e movimentação, era difícil.

Quando o Vitória conseguia chegar à frente, os jogadores não se movimentavam para dar opções de passe. Vejam como Elton recebe a bola, tenta fazer o pivô, mas não tinha para quem passar a bola. São 5 adversários ao redor, apenas dois companheiros mais próximos, sendo que, esses dois, ainda estão atrás de seus marcadores.

O Vitória levou uma verdadeira aula na primeira etapa, e poderia ter saído de campo atrás do marcador.

Mancini precisava fazer algo durante o intervalo para mudar aquele cenário, e foi feito. O puxão de orelha fez com quê o Vitória voltasse com a postura que deveria ter iniciado a partida. Postura de um time que estava atuando com o estádio lotado e buscando o acesso à serie A.

A equipe rubro-negra passou a ocupar o campo ofensivo, avançou a marcação, sufocou o Luverdense e, com isso, entrou no jogo.

Jogadores atuando próximos, se movimentando, buscando o gol, não deu outra. Depois do golaço de Escudero em cobrança de falta, o Leão marcou ainda mais duas vezes, uma com Kanu e outra com Elton.

Conclusão

A primeira etapa deixou a impressão de que uma tragédia poderia acontecer, no entanto, para felicidade geral, os jogadores retornaram para o segundo tempo com atitude, e foram os responsáveis pela reviravolta na partida e, consequentemente, a conquista dos três pontos que garantiu o Vitória na serie A 2016.


Por Cassio Santos/@CassioNSantos

0 comentários:

Postar um comentário