PAPO TÁTICO: Vitória mostra maturidade em campo, mas pela falta de pontaria quase se complica

O Vitória venceu o Boa Esporte por 2 x 1, no último sábado, em partida realizada no Barradão. Depois de uma boa atuação no primeiro tempo, o rubro-negro por pouco não pagou caro, principalmente pela falta de pontaria do atacante Elton.

Superior tecnicamente, o Leão se impôs na primeira etapa, deixando o Boa acuado no campo de defesa. Mancini fez valer o mando de campo e colocou o time pra frente, apertando a saída de bola adversária.

Vejam que o Vitória colocava 9 e, as vezes, até os 10 jogadores de linha no campo de ataque. Os laterais Diego Renan e Euller subiam ao mesmo tempo dando amplitude, forçando o adversário a se abrir, enquanto os espaços eram abertos para as infiltrações dos meias. Notem o movimento de Pedro Ken aproveitando um destes espaços.

Desde o BaxVi, podemos ver um Vitória maduro, que mesmo levando o gol no clássico, não se abalou e foi buscar a virada.

Diante do Boa, foi possível ver a evolução da equipe também no sistema defensivo.

Quando o Boa chegava ao meio campo, o rubro-negro se armava no 4-1-4-1. Foi o jogo em que vi o Vitória conseguir se arrumar defensivamente com perfeição, claro que, a fragilidade do adversário ajudou. Notem o 4-1-4-1 destacado pelas linhas amarelas, enquanto o retângulo vermelho mostra a compactação da equipe em campo. Perfeito, pouco espaços entre as linhas, numa marcação por zona, que tem como princípio o foco na bola e na negação de espaços.

Na imagem capturada, mais um exemple de como o foco do Vitória era a bola. São três jogadores fazendo pressão sobre ela, apertando e bloqueando as opções de passe do portador da bola. 

Já o Boa veio com um tipo de marcação de encaixe individual (baseada na movimentação dos jogadores e não da bola). É o famoso "cada um pega o seu", ou "lateral esquerdo bate com lateral direito"... o que dificultou um pouco a saída de bola rubro-negra, porém, com um pouco de movimentação, era fácil encontrar os espaços. Por isso, o Vitória nem precisou se esforçar muito para abrir o placar com Elton, aproveitando jogada feita por Vander.

O Vitória poderia ter saído de campo na primeira etapa com até três gols no marcador, o que acabou não acontecendo graças aos erros nas finalizações de Elton.

Na segunda etapa, Escudero ampliou o placar aproveitando o rebote após cobrança de pênalti realizada por ele mesmo. Em seguida, o Boa diminuiu com Felipe Alves. Daí em diante, Nedo Xavier colocou o time para atuar com três atacante, tentando buscar o empate.

Como de costume, a equipe rubro-negra deu alguns sustos no torcedor, e poderia ter sido castigado com mais um gol sofrido, o que não aconteceu.

Conclusão

Não foi uma partida de bom nível técnico, porém, foi possível observar alguns pontos positivos e de evolução no Vitória. Vejo uma equipe madura, que tem tudo para buscar o título, já que o acesso parece ser questão de tempo. Mancini mostra que tem o grupo nas mãos, e que os jogadores já assimilaram a forma de atuar. Agora é torcer para os atletas não se machucarem nesta reta final, já que, sabemos a limitação do elenco.

Por Cassio Santos/@CassioNsantos

0 comentários:

Postar um comentário