PAPO TÁTICO: Desorganizado, Vitória sofre contra o CRB

O Vitória voltou a repetir os mesmos erros cometidos no empate em 1 x 1 com o Paraná na Arena Fonte Nova, contra o CRB, no Rei Pelé.

Não por acaso, nas duas partidas o empate saiu de bom tamanho para o rubro-negro, que poderia ter saído de campo, nas duas ocasiões, com uma derrota.

O técnico Vagner Mancini, em sua última coletiva antes do duelo contra o CRB, declarou que a equipe teria uma postura de campeã, marcando alto e sendo rápida nas transições. Ótima estratégia, se o time conseguisse realizar isso na prática.

Ou seja, o grande problema é que os jogadores não conseguiram executar a estratégia traçada. Culpa apenas dos atletas? não. 

Para a marcação alta ser executada com perfeição, é necessário a concentração de todo o time. Não adianta um ou dois atletas subirem a marcação, quando o companheiro deixa um jogador adversário com espaço para ser opção de passe. E esse tem sido o grande defeito do Vitória nos dois últimos jogos. Desorganização, bagunça, todos correndo atrás da bola sem o mínimo de organização tática.

A imagem ilustra a desorganização do Vitória em campo. Na segunda etapa, a segunda linha do 4-1-4-1 rubro-negro não existiu (apesar de que no primeiro também não tinha linha, mas se via jogadores povoando o espaço). Vejam como a primeira linha ficava sempre exposta. Amaral, coitado, tentando ajudar seus companheiros, se posicionando para uma possível cobertura defensiva. O pior de tudo, são 5x5, o sistema defensivo não tinha superioridade numérica. Vale ressaltar que a imagem foi capturada só aos 15 minutos do segundo tempo.

Quando peço organização, não estou falando de nada de outro mundo que não possa ser feito. Guardei uma imagem em meus arquivos, que serve como exemplo.

Vitória venceu o Boa e mostrou em alguns momentos marcação compacta por zona. 

Mancini tem duas opções. Ou procura corrigir e conscientizar seus comandados sobre o que é e como executar a marcação pressão, ou muda o foco para a marcação por zona, principalmente nas partidas fora de casa. 

É necessário atuar com inteligência e não cair na pilha e correria do adversário. O time mais técnico tem que fazer sua qualidade prevalecer com a organização, boa troca de passes e jogadas bem tramadas. 
  
Caso o Vitória continue atuando como um "bando" em campo, querendo ganhar de qualquer jeito, será muito mais difícil.

Por Cassio Santos/@CassioNSantos

0 comentários:

Postar um comentário