PAPO TÁTICO: Veja movimentação ofensiva do Vitória na goleado sobre o Migi Mirim

Fala galera que gosta da parte tática!

Infelizmente não tive como assistir na íntegra - coisa rara de acontecer - a goleado do Vitória (4 x 1) sobro o Mogi Mirim ontem à noite na Arena Fonte Nova. Logo, não tenho como fazer uma análise tática de todo o jogo.

No entanto, vendo os lances da partida, destaquei alguns pontos interessantes nos gols do Leão, que vai de encontro com o que sempre tento passar em nosso Papo Tático e no twitter, "Para surpreender o adversário é preciso intensidade, velocidade, ultrapassagens, toques rápidos...", principalmente, pela forte marcação que as equipes imprimem no futebol moderno.

Primeiro gol

Interessante destacar no primeiro gol do Vitória a movimentação de Elton. O centroavante que vem fazendo muito isso na competição, se movimentou, saiu da área, atraindo com ele dois marcadores, abrindo assim ESPAÇO para as penetrações de Flávio (por dentro) e David, no postado da zaga.

Após o cruzamento de Diego Renan, David dominou, fintou o adversário no 1 x 1 e fuzilou.

Segundo gol

No segundo gol, uma combinação. Primeiro, o toque de Diego Renan para Pedro Ken e a ULTRAPASSAGEM nas costas do defensor. Em seguida a boa visão de Ken, trouxe a bola por dentro e deu um belo passe para Diego Renan, que entrou na área e estufou as redes.

Lembram do que Élton fez no primeiro gol? Olha Rhayner fazendo igual desta vez. Saiu da área, atraiu o marcador consigo e abriu ESPAÇO para a infiltração de Diego Renan. Jogada Perfeita!

Notem ainda que o Vitória possui seis jogadores em campo ofensivo, contra os mesmos seis do Mogi atrás da bola. Ou seja, não deu superioridade numérica ao sistema defensivo? a tendência é que o ataque leve vantagem.

Terceiro Gol


No gol marcado por Euller, vou destacar mais uma vez o ataque rubro-negro com 6 atletas, contra 7 do adversário. Três jogadores do Vitória dentro da área para finalizar (apesar de um em impedimento neste momento), e outros três ao redor da grande área (Rhayner com a posse e mais dois sendo opções de passe e rebote).

Lembram da amplitude que vira e mexe eu comento? Pois bem, caso mais um jogador do Vitória estivesse bem aberto na esquerda (amplitude), abriria um espaço fatal, já que o sistema defensivo do Mogi está todo em uma parte do campo.

Quarto gol


Esse eu dividi em duas imagens. Vejam que o Vitória atacou neste setor com inferioridade numérica (São 2 jogadores rubro-negros contra 4 do Mogi mais próximos e 1 mais afastado), portanto, a tendência era do lance não ser bem sucedido. Mas pra quê serve a tabela, a ultrapassagem, o toque rápido? São esses elementos que fazem uma equipe quebrar o sistema defensivo adversário...

Continua...


Diego Renan e David fazem ótima tabela e o garoto consegue a PROFUNDIDADE, entrando na área adversária. Com isso, o zagueiro que marcava Élton teve que deixar o centroavante livre para tentar o combate... Aí fica fácil né?

Amigos, é isso que sempre peço. É preciso destacar que Mancini voltou a utilizar os dois extremos de velocidade, isso facilita para que o time consiga realizar todas estas jogadas. Já a equipe precisa entender que, nos jogos dentro de casa é preciso atuar desta maneira (intenso, veloz, movimentação, ultrapassagem...).


Por Cassio Santos/@CassioNSantos


0 comentários:

Postar um comentário