PAPO TÁTICO: Em jogo franco e equilibrado, Vitória bate o Paysandu na Arena Fonte Nova

Vitória e Paysandu duelaram no último sábado na Arena Fonte Nova. Em jogo, a briga pela segunda colocação do Brasileirão da série B 2015.

Quem foi a Arena saiu de campo satisfeito com a partida. Até mesmo os torcedores do Papão, apesar da derrota, pois viram uma equipe aguerrida dentro de campo, jogando pra frente e buscando os gols, mesmo atuando fora de casa. Isso valorizou ainda mais o resultado conquistado pelo rubro-negro.

Pelo lado do Vitória, Mancini armou o mesmo 4-1-4-1 que variava para um 4-4-2 (duas linhas) quando a equipe esta sem a posse de bola. Nesta última situação, Rhayner avançava para apertar a saída de bola adversária ao lado de Élton. Com a posse, a equipe atacava num 4-3-3.

A equipe rubro-negra sentiu muitas dificuldades, principalmente nos minutos iniciais, pelo fato do Paysandu ter marcado alto, sufocando a saída de bola com seu 4-3-3. Quando o Vitória conseguia sair de trás, o Papão rapidamente formava um 4-1-4-1, compacto, marcando em bloco médio, com Fahel entre as linhas.


A equipe paraense conseguiu ser superior nos primeiros 15 minutos, chegando de forma organizada, consequentemente, levando mais perigo. Enquanto o Vitória conseguia responder em algumas oportunidades. O gol de Escudero em cobrança de falta aos 39 minutos, foi fundamental para dar tranquilidade ao Leão. Em seguida, no primeiro minuto da segunda etapa, Kanu fez após cobrança de escanteio, ampliando a vantagem.

Principal arma

Como já era de se esperar, o Paysandu utilizou muito seu lado direito, com Yago Pikachu, tentando levar vantagem sobre o jovem Euller. Dentro do esquema de jogo, Euller e Escudero eram os responsáveis pelo combate ao lateral adversário. No entanto, o gol do Papão acabou saindo por ali.

Rhayner não conseguiu encurtar o espaço para dificultar a visão e o passe de Fahel, que encontrou Pikachu passando nas costas de Escudero. Muito bom jogador, Pikachu dominou e encheu o pé.

O Papão voltou a crescer na partida em busca do gol de empate. O jogo continuava franco e a qualquer momento o gol poderia sair para ambos os lados. Aos 27 minutos, Diego Renan rouba a bola em campo ofensivo e avança até ser parado por Gualberto. Pênalti marcado e convertido por Escudero, decretando o triunfo rubro-negro.

Números

Os números comprovam o equilíbrio da partida e a coragem do Paysandu em jogar pra frente mesmo fora de casa. Enquanto o Vitória teve 41,9% da posse de bola, o Papão teve 58,1%. Foram 6 finalizações certas e 7 erradas do Leão contra 9 certas e 14 erradas da equipe paraense.

Conclusão

O Vitória soube superar as dificuldades impostas pelo Paysandu graças a competência nas finalizações, principalmente de Escudero, responsável por 2 gols e uma assistência. O ponto em comum dos três gols do Leão é que todos aconteceram em bolas paradas. É importante utiliza-las, porém, é ainda mais importante conseguir surpreender um adversário qualificado com jogadas de infiltração, profundidade, triangulações......

Valeu pelos três pontos num momento crucial do campeonato, contra um adversário direto. Agora é se preparar para o clássico. Por falar em Ba-Vi, parabéns ao Mancini e toda equipe, que entrou consciente de que não poderia levar cartão amarelo, graças ao alto número de pendurados.

Por Cassio Santos/@CassioNSantos
Dados: Footstats


0 comentários:

Postar um comentário