PAPO TÁTICO: Mal escalado e desorganizado, Vitória é derrotado pelo Botafogo no Barradão

O torcedor que foi ao Barradão acompanhar Vitória x Botafogo neste sábado (5), com a expectativa de ver um grande futebol, já que as duas equipes possuíam as melhores campanhas da série B até aquele momento, saiu do Estádio completamente decepcionado.

Mais especificamente em relação ao Vitória, uma equipe lenta, previsível e desorganizada, que atuando em seus domínios deveria envolver o adversário em busca do triunfo.

O técnico Vagner Mancini manteve a mudança de esquema que fez no último jogo, tentando atuar num 4-2-3-1, porém pecou em diversas escolhas que fez. A primeira delas, Marcelo Mattos e Amaral formando a dupla de volantes, totalmente desnecessário, o que acabou deixando o time ainda mais lento. 

Na imagem temos o desenho do 4-2-3-1 armado por Mancini. Após a dupla de volantes (Mattos e Amaral), Escudero, Pereira e Rhayner como meias e Robert à frente. Vale ressaltar que os meias invertiam muito de posição. em alguns momentos Escudero aberto na esquerda, em outros Pereira na direita, em outros Rhayner centralizado....... 

Com a mudança de esquema, o Vitória não marca mais em linha como no 4-1-4-1. Notem, ainda na imagem 1, os espaços que dois jogadores do Botafogo possuem para jogar nas costas de Marcelo Mattos e Amaral....

Ter dois volantes com características "pegadores" não quer dizer um sistema de marcação encaixado, e o Vitória ontem foi a prova disso. Observem o espaço que os jogadores do Botafogo (círculo Vermelho) possuíam para jogar. Quatro jogadores do Vitória já ficaram após a linha da bola, na certa, pensavam que Mattos e Amaral poderiam dar conta do recado sozinhos, estavam enganados. 

O sistema de marcação depende do empenho de todos os atletas, desde o ataque até a defesa, e não somente de dois ou três. 

Quando um time se propõe a realizar uma marcação alta na saída de bola, o adversário não pode ter liberdade para trocar passes, caso contrário, o sistema de marcação estará todo comprometido como na imagem capturada. 

Viram a linha amarela que acrescentei? Já que a partida foi realizada às 15h, num calor "infernal" de Salvador, não teria sido melhor uma marcação em linha, com bloco médio (baixo), fechando os espaços, evitando assim um desgaste maior dos jogadores? 

Mancini escolheu mal a estratégia e muito mal as peças. Com Marcelo Mattos, Amaral, Pereira, Escudero, Rhayner e Robert, o único que tem características de velocidade é Rhayner, mas que não é um atacante nato, e pouco poderia fazer sozinho. 

O treinador rubro-negro teve tempo para observar os erros e mudar no intervalo, mas não o fez (outro erro). 

Quando o time tinha a posse de bola, vínhamos Amaral se movimentando para ser opção de passe no ataque, se desgastando e fazendo uma função na qual não possui características. Não era melhor então ter entrado logo com Flávio, Vander ou David? 

Conclusão

A torcida do Vitória já perdeu a paciência com Mancini devido as escolhas errôneas nos últimos jogos, principalmente a manutenção de Marcelo Mattos na equipe titular. O treinador precisa urgentemente colocar a equipe no caminho certo. 

Sempre faço questão de lembrar que o Vitória não possui um bom elenco, mas cabe a Mancini colocar em campo o time mais competitivo possível, e não foi o que ele fez ontem. Espero que o mesmo reveja alguns conceitos e reorganize o time para a próxima partida. 


Por Cassio Santos/@CassioNSantos





Um comentário:

  1. A mesma torcida que não aguenta Marcelo Mattos não tem um mínimo de paciência com jogadores da base, como Flávio, que seria o substituto de Mattos. E aí, fazer o que?

    ResponderExcluir