PAPO TÁTICO: Wesley Carvalho, Missão cumprida!

Com a demissão do técnico Claudinei Oliveira no dia 20 de maio, Wesley Carvalho recebeu a difícil missão de assumir o comando técnico do Vitória de forma interina, até a contratação de um novo comandante. Missão dada, foi missão cumprida com perfeição!

Wesley conseguiu fazer o time lento e previsível, se tornar uma equipe intensa, versátil e mais organizada dentro de campo. Foram 4 jogos, sendo 3 triunfos (Bragantino, Criciúma e Atlético-GO) e uma derrota para o Botafogo no Rio de Janeiro. 

O sistema de marcação foi mantido, onde o time se organiza no 4-1-4-1, porém, agora os atletas tem a consciência que deve-se colocar uma maior pressão sobre a bola, forçando o adversário a mudar de direção ou errar o passe. 

Wesley colocou em campo os três jogadores mais técnicos da equipe, Flávio, Escudero e Pedro Ken. Na falta de um meia que dite o ritmo do jogo, essa responsabilidade foi dividida entre eles. 

Nas imagens abaixo, da última partida diante do Atlético-GO, é possível visualizar como Wesley Conseguiu essa versatilidade. 


Pelo lado esquerdo, a triangulação é formada por Diego Renan, Escudero e Flávio. No lance em específico, Diego Renan tocou para Escudero, enquanto isso, Flávio fez a ultrapassagem, dando opção de passe. O argentino, mostrando todo seu talento, fez um arco e lançou a bola para Rogério, que já passava pelo lado direto nas costas da defesa adversária. 



Pelo lado direito, a triangulação é feita por Diogo Matheus, Pedro Ken e Rogério. No lance específico, que originou a penalidade, a jogada iniciou com Élton, que está localizado fora da área, ao lado de Ken, enquanto Rogério se infiltra entre os zagueiros. Notem que o Vitória ataca neste lance com seis atletas, lembrando que até Escudero e Diego Renan estão entrando na área. 

Essa é a versatilidade citada no início do texto e mostra como o Vitória conseguiu mudar da água para o vinho nos últimos jogos dentro de casa. 

Mas é importante frisar que ainda existem defeitos a serem corrigidos e, principalmente, cabe a diretoria trazer reforços. Caso contrário, essa evolução será colocada em risco. 

Passei a ser um defensor da permanência de Wesley, que mostrou sua qualidade e seu potencial de assumir à equipe. Porém, como não aconteceu, agora é torcer para Mancini realizar um grande trabalho e trazer o Leão de volta à elite do futebol brasileiro.

Por Cassio Santos/@CassioNSantos

0 comentários:

Postar um comentário